Lagarta Lanuda

quinta-feira, junho 23, 2005

Partida, lagarta, fugida



A vida, lagarta lanuda, corre tão depressa que, na maior parte das vezes, nos esquecemos de parar, respirar e olhar pela janela. Qualquer uma.
A minha janela hoje tem vista para o Tejo.
Um pouco de rio em tempo de mar.

1 Comments:

At 11:18, Anonymous Anónimo disse..

Ah..., o Tejo!
Sempre presente rodeando a cidade, sempre tão esquecido por ela... Sinais de uma vida levada a correr, sempre de fugida de cá para lá e de lá para cá.
Pobre Lisboa, tanta gente e ninguém dá por nada...
Atravesso o rio, rio e sorrio, estou de partida, tempo de Mar, sul, Mar...e na ponte que zumbe não me lembro de ter coragem de olhar para trás...
LG

 

Enviar um comentário

<< Home